• Aprenda como evitar as pragas urbanas e se proteger

    Aprenda como evitar as pragas urbanas e se proteger
    Compartilhar:

    Os pombos podem transmitir criptococose, mais conhecida como doença do pombo, pelas fezes – e a orientação é não alimentar esses animais.

    Cuidados simples, mas que muitas vezes são ignorados pelas pessoas, são fundamentais para a saúde pública. Manter os ambientes limpos e sem restos de comida é uma forma segura de evitar a proliferação de baratas, aranhas, moscas, baratas, lagartas, escorpiões e pombos e, consequentemente, a transmissão de doenças.

    Além de contar com a ajuda da população, o governo local também investe em ações para combater a infestação desses animais.

    Segundo o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, são feitas inspeções domiciliares, pulverizações, manejo ambiental, higienização nas redes de esgoto e programas de educação ambiental nas escolas.

    “As pragas urbanas são aqueles animais indesejáveis ao convívio humano, que trazem risco à vida das pessoas. Eles podem transmitir leptospirose, salmonelose, alergias, entre outras”, informa.

    “Quem puder, também é aconselhável deixar as paredes do imóvel sempre rebocadas. Esses animais gostam muito de locais velhos, sem reformas”, explica Divino Valero. “Há dois fatores determinantes para infestações: o ambiental e o sanitário. Muito chuva acaba atraindo esses bichos também”.

    No caso dos pombos – que transmitem criptococose, mais conhecida como doença do pombo, pelas fezes –, as orientações não são diferentes. Outra medida de segurança é não alimentar esses animais.

    “Não é uma atitude saudável. Eles se reproduzem muito rápido e, quanto mais alimentamos, mais eles vão se concentrar naquele lugar, principalmente em telhados, varandas ou onde tem muita sujeira”, alerta o subsecretário. “Há dois fatores determinantes para infestações: o ambiental e o sanitário. Muita chuva acaba atraindo esses bichos também”,

    Trabalho integrado

    As administrações regionais são grandes parceiras no combate às pragas urbanas. A administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, ressalta que o primeiro trabalho é manter a cidade limpa. “E tentar conscientizar a população para que não joguem lixo nas ruas. Também fazemos vistoria para checar se alguma área virou foco desses animais e acionamos a vigilância sanitária”, comenta a responsável pela cidade.

     

    Fonte: www.brasiliaweb.com.br
    Foto: internet/ divulgação

    VOLTAR
    Compartilhar: